Pra ficar bonita tem que sofrer!

E você concorda com a frase que dá título para esta postagem?

Meu Deus...

Quantas vezes escutei essa frase nos "salões de beleza". E sempre saía aquele sorriso amarelo de quem concordava com a frase imposta por alguém e aceita por tantas de nós.

Claro que, se eu quiser que meu cabelo seja liso (o que ele não é de natureza) eu vou sofre dores e meu cabelo também sofrerá.

E lembro bem das vezes que eu ficava sentada na cadeira giratória dos salões de beleza. 
O vapor quente do secador de cabelos, a escova redonda de vários tamanhos que, algumas vezes se enrolava toda no meu cabelo. 
A força que a profissional fazia puxando os fios e eu me segurando na cadeira, firmando a cabeça.
E quando era para secar e puxar essa parte bem perto da orelha? E o medo que dava de queimar? E as vezes que já queimou?
Alguns salões tem um tampão para orelhas que não adianta nada. Se você segurar o tampão com a sua mão, você protege a orelha e queima os dedos.
Depois de tudo isso, a piastra. Pois o secador e as escovas redondas não alisam os cabelos crespos com tanta facilidade. 
E o medo que eu tinha daquela prancha esbarrar no meu couro cabeludo?
E as vezes que já esbarrou?

"-Pronto! Está linda agora."

Sempre dizem essas profissionais.

Uma menina com o cabelo anelado, crespo, sai do salão balançando os "seus" lisos cabelos. 
Corre de cada gota de água.
Tenta não suar para que a escova dure mais tempo.
Coloca sacola plástica na cabeça na hora de tomar banho.

Quando não é o processo de alisar temporariamente os fios é o processo de alisar definitivamente, ou relaxar, ou usar o super relaxante. Doloroso também. Algumas mulheres crespas têm seu couro cabeludo queimado, machucado, ferido, por causa de uma química que promete deixar os fios mais macios e controlados.


Me responda por favor: Quem disse que o cabelo é duro? Quem precisa ser controlado? 


E assim foi minha vida em busca da beleza que é anunciada.
Aquela beleza que você precisa de sofrer para adquiri-la. 

Ainda bem que o tempo passa. E com ele observamos nossa evolução, nossa transformação, nossa transição. 
Vê lá se uma mulher, com qualquer tipo de cabelo, precisa depender de uma ideia assim para pensar que possui beleza.


Terminei a transição capilar. Fiz o Big Chop.
Mas estou em transição com minhas ideias, com minha presença nos ambientes em que atuo. Em transição com o pensamento que as pessoas têm de mim. 

É bom ser "essa metamorfose ambulante".

É bom desejar ser livre e ser, pelo menos no que diz respeito ao cuidado com os cabelos e comigo mesma. 

É bom, é gostoso demais conhecer seu cabelo, vê-lo nascer, senti-lo crescer naturalmente.

É bom lavar, passar um creme e esperar secar.

É bom inventar penteados com grampos e panos.

É bom não depender da mídia e das fotos das capas de revista para sentir-se bela.

Gostaria de citar a fonte desta bela foto. Mas não tenho.


Que fique registrado o meu respeito a todos que escolhem esticar, relaxar, alisar, enrolar.
Todos nós podemos fazer escolhas. É preciso que entendamos isso. Todos nós podemos escolher o que quisermos. Inclusive ser natural.


Paz pra nós!


AnaVi. 



8 comentários:

✿ chica disse...

Muito lindo esse teu depoimento! E acho muito bom quando assumimos como somos,vivemos muito melhor, na certa!beijos,chica. lindo fds!

JAN disse...

Oi Ana!
Cada um deve ser como é... pode-se e deve-se dar uma melhorada no visual, sem querer distorcê-lo.
Gosto de ver qualquer pessoa bem penteada.
E... o que é um cabelo bom ou ruim??????

Abração
Jan

Sonia Tolfo disse...

Adorei sua postagem, compartilho do teu pensamento. Escrevi algo em relação aos meus cabelos, só que em relação à cor.
Também me libertei.
Abraço!
Sonia

Elisabete disse...

Claro, somos livres de fazer o que quisermos ao nosso cabelo.
Gostei do seu post.
Bjs

Maiele Luz - Sonhada Vida disse...

Ai que lindooooo eu sempre tive o cabelo natural e todo mundo falava um monte! Graças à Deus que isso mudou e agora tem um monte de gente assumindo seus cachos. Que bom que não só o seu cabelo está em transição, é sempre maravilhoso progredir, evoluir, mudar! Amei esse post! Beijos

Jussara Neves Rezende disse...

AnaVi,
minha querida,
a maturidade nos faz um bem enorme! Quando adolescente a gente sofre demais na tentativa de se adequar ao grupo e aos padrões midiáticos.
Graças a Deus isso não precisa durar para sempre! A maturidade nos permite repensar nossa posição no mundo, nossas escolhas, quem somos.
Bom demais ser livre, cultuar nossa própria diferença e idiossincrasias. E ser quem somos e escolhemos ser.
Abraço!

ANNA DIAS disse...

Olá Ana, linda reflexão
Sei bem como é isso, passei por estas questões e hj como cabeleireira afro-étnico, ajudo meninas a passarem por esse drama todo.
O triste é que dialogo muito com meninas de 6, 7 anos que querem alisar, como elas dizem querem correr no recreio (escola) e o cabelo balançar...
- Digo:: Faz trançinhas q ficará linda ! Imagine um bico, é isso que recebo.
É de doer o coração.
Amada depois de um tempo afastada de meu blog por divs dificuldades retornei e adoraria que vc fizesse uma visitinha para mim...
Já te sigo e não é de hj, adoro seus textos e vou amar te ver por lá.
DEUS a abençoe Ana,
Bjuixxx

Anna Dias
http://salaodaannadias.blogspot.com.br/

Magia da Inês disse...

✿゚ه° ·.
Amei o texto pelo conteúdo e pela facilidade de comunicação.
Beleza vem de dentro para fora, vem da alma, senão, vira futilidade!

Boa semana com tudo de bom!
Beijinhos.
✿゚ه° ·.

<< >>