Feliz Natal!

Feliz Natal assim.
Porque amo tirinhas.
E sou apaixonada pelo Armandinho.


















A música Natal Todo Dia, do Roupa Nova, define bem o clima destes últimos dias de dezembro.

Os cristãos comemoram o Nascimento de Jesus Cristo. Contudo, sabemos que a origem da data da comemoração do Nascimento de Jesus tem a ver com a celebração pagã ao deus sol. Como não sabiam qual o dia em que Jesus nasceu decidiram comemorar no dia do deus sol, que é o maior dos deuses.

Assim, cristãos ou não se encontram, trocam presentes, fazem comidas deliciosas... E quando chega meia noite, se abraçam e dizem uns para os outros "Feliz Natal".

Acredito que o verdadeiro Natal pode acontecer todo dia e acontece todo dia. 
Em algum lugar, com pessoas que se dispõe a amar ao invés de condenar, a abraçar ao invés de jogar pedras. Quando um alguém se coloca no lugar do outro e a partir daí revê as suas ações.
Também acontece o Natal quando decidimos almoçar ao lado daquela pessoa que sempre está sozinha e triste. Ou então quando deixamos nossa vontade de sentar sozinho e calado no ônibus para ficar perto daquela pessoa que quer conversar, falar de seus problemas.
Natal também é quando deixamos nossa hora de descanso no domingo à tarde para visitar o hospital, o asilo, o orfanato. 

Natal é quando imitamos aquele Cristo que acreditamos nascer dentro de nós, em dezembro.

Feliz Natal pra você,

Sobre a exposição

Dias atrás falei sobre a exposição fotográfica que participei, no mês da consciência negra.

A noite foi bela, foi rica.

A Professora Cecy Barbosa Campos fez uma linda apresentação da vida e trajetória de Abdias Nascimento, que é um referencial quando o assunto é a luta pela igualdade racial. Esse ativista nos deixou um legado de lutas pelo povo afrodescendente no Brasil.
Para conhecer mais sobre Abdias Nascimento clique aqui.






Em seguida, tivemos a maravilhosa apresentação do "Batuque Afro-Brasileiro Nelson Silva", que é um dos maiores representantes da cultura afrodescendente em Juiz de Fora. Nelson Silva foi compositor e ritmista que defendeu a temática negra em busca de liberdade e igualdade.

Por meio do decreto nº 9.085, de 15 de janeiro de 2007, o grupo foi registrado como Bem Imaterial pelo valor histórico e cultural que envolve sua tradição divulgando a cultura negra através de suas composições, suas letras, seu cantos, seus lamentos, suas raízes e suas danças.






O projeto do Varal Fotográfico contemplou mulher afrodescendente que tem cada vez mais assumido seus traços, seu corpo, seu cabelo, sua essência. Elas reconhecem sua beleza, sua capacidade de atuar em áreas que não são somente o serviço doméstico e serviçal, também a capacidade de atuar dentro das faculdades, dialogar e transformar atitudes que possam ser preconceituosas.


Para conhecer a apresentação do projeto, clique aqui. 








Foi assim.
Rica e bela a nossa noite.

Agradeço a todos que ajudaram e incentivaram.
Agradeço também aos que comentaram no post anterior solicitando notícias do evento.

Até mais.
AnaVi


Saquinhos Natalinos sem costura


Muito simples de fazer esses saquinhos.
Costurar na máquina eu não sei.
Máquina de costura eu não tenho.

Os saquinhos foram colados com "cola pano".

Acho que todo mundo aí sabe como faz né...

Não sou uma blogueira com experiência em fazer DIY.


Assim estamos preparando nosso Natal aqui.





Vai ficar por quanto tempo?
Preparo um café ou preparo minha vida?

Hein?


Raízes





Tão importante para uma pessoa é conhecer suas raízes, suas origens.
Tão importante é que a criança, o jovem, o adulto e o idoso saiba de sua importância na sociedade, de sua beleza, de seu valor.
Tão importante é ensinar o respeito à cultura e crença do outro.
Tão importante é a nossa consciência de não se deixar levar por um sistema preconceituoso e opressor.



A noite foi linda.
Isadora encantada com o Batuque Nelson Silva.

Negra mulher bela

Esse é o tema da Exposição Fotográfica que vou participar aqui em Juiz de Fora, na comemoração do mês da Consciência Negra.

A exposição fará parte do evento: "Consciência Negra: Literatura e Música"
No Museu de Arte Moderna Murilo Mendes.

Passamos esse fim de semana na organização e preparativos desse evento.






Para saber mais sobre esse projeto clique aqui:



Um elogio

Você está mais leve!

Sobre a paquera.

Na academia o instrutor e a mocinha trocam sorrisos, gentilezas.
Ele é agradável e simpático com todos e todas.
Mas aquela mocinha recebe uma atenção especial. 

É a paquera.

E como é gostosa a paquera.

Lembro-me de nossas primeiras menagens. 
As gentilezas, as belas palavras. 
O sorriso no rosto em casa sms recebido. 
E aquele sorriso que continuava ali olhando para o celular. 
Uma hora dava conta do mundo ao meu redor e continuava (mais feliz) os afazeres do dia.

A paquera que percebo na academia também me fez lembrar de todas as coisas que eu fazia pra tentar te encontrar "coincidentemente". Pra tentar te ver de longe ou quem sabe até passar do seu lado e ganhar um abraço e um beijo no rosto.


Se dispor a amar


Quem se dispõe a amar sempre
Enxerga amor sempre




Fotos de algum lugar daquela Amazônia linda!



Branca de Neve

Uma das coisas que tem me realizado é a fotografia.
Registrar aqueles momentos na vida das gestantes, das crianças, das famílias.

Dessa vez a festa foi da Branca de Neve.

Um encanto!












Abraço!

{AnaVi}


Hotel Fazenda Santa Helena

Hotel Fazenda Santa Helena fica aqui pertinho de casa.
Cinquenta minutos da minha casa até lá.

Ótimo lugar para passar um dia, um final de semana.

Uma natureza bela.
Lago.
Redes.
Parquinho para as crianças.
Capela.
Animais.

Fica essa dica e algumas fotos!









Os barcos e as redes

Uma das maiores diferenças entre a região amazônica e a região onde vivo (interior de Minas) são os meios de transporte.

Aqui ando de ônibus e carro.
Uma correria sem fim.

O povo...
Corre pra pegar o ônibus que sai do ponto antes do horário previsto.
Se aperta dentro dos retângulos superlotados, principalmente no horário de pico.
Fica horas num engarrafamento.
Motoristas não respeitam a faixa de pedestre.
Pedestres se arriscam atravessando em meio ao trânsito super complicado.

Chegamos no Pará, em Santarém.
No mesmo pique que temos aqui em Minas.

Mas gente... lá o ritmo é outro.

Lá o povo acompanha o ritmo das redes, dos barcos.

Chegamos no porto de Óbidos, numa correria sem fim, com medo de perder o barco que estava marcado pra sair às 17:00.
Pensamos que o barco nos deixaria pra trás.
Chegamos no porto 17:30, cansados de tanto correr com as malas.

E o barco?

Estava lá... enquanto alguns homens o "carregava" com sacos de farinhas, frutas, nós subíamos as escadas para acomodar nossas redes.

O barco espera todo mundo se acomodar pra sair. Sem aquela correria de ter que chegar tal hora em tal lugar.




Oito horas de viagem de Santarém até Óbidos. 
Sentados confortavelmente em bancos reclináveis e com ar condicionado ligado?
Não.
Cada um pega sua rede, encontra um gancho disponível e se acomoda.
E assim se passa as oito (ou mais) horas dentro dos barcos que são o principal meio de transporte daquele povo.

As redes não deixam de ser confortáveis. 
Mas pra quem está acostumado a deitar em redes somente na varanda de casa, nos fins de semanas, ficar balançando na rede que estava dentro de um barco que também balançava, não era a coisa mais confortável do mundo.





Valeu a experiência.

{AnaVi}


Você é o único doce que gosto.

O rapaz dizia não gostar de doces.
No tempo da paquera, do flertar, Ana Maria recebia mensagens em seu celular assim:
"Você é o único doce que gosto".

O tempo passou.
O relacionamento não foi pra frente e Ana Maria descobriu que o rapaz gostava de doce sim.
E esse charme em dizer que não gosta devia fazer parte de seu processo de conquista.

Encontro das Águas

 "Um dos mais belos e surpreendentes espetáculos da natureza no Estado é protagonizado pelos rios Amazonas e Tapajós. Em frente à cidade de Santarém ocorre o encontro desses dois gigantes rios. Fenômeno este conhecido como “encontro das águas”. O encontro do Amazonas, com suas águas barrentas e correntes; com o Tapajós, de águas verde-azuladas e mansas, proporciona uma imagem intrigante. Os rios correm paralelos por aproximadamente quatro quilômetros, sem que suas águas se misturem." 



No dia que chegamos em Santarém precisamos ficar num hotel para pegar o barco para Óbidos, que seria somente no dia seguinte.

Ficamos no Hotel Encontro das Águas, onde fomos muito bem atendidos e acomodados.

Da janela do quarto dava pra ver o encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas... mas dava pra ver de longe... a água de uma cor, até determinada distância e depois a água de outra cor.


A vontade era de ver isso de perto né.

E fomos!

Como eu nunca tinha visto dois rios se encontrarem, fiquei encantada.

E registrei o momento!

Primavera

Primavera e concurso cultural dos blogs da Tina e da Ana Paula.




que a primavera traga
pra mim e pra você
o perfume
a delicadeza
a beleza
das flores

e também 
a alegria que brota no coração daqueles que as dão e recebem








e... que tal aproveitar esses dias lindos para ofertar flores àqueles que amamos?


{AnaVi}


Vida!

"Eu simplesmente amei!"


Acredito que o segredo seja esse. Amar. Simplesmente amar.
Os que amam sabem que a arte de viver do amor não é sempre fácil, não é sempre agradável.
O amor também é dor, também são lágrimas.

Assim como eu, você deve ter visto a bela história desse casal que foi compartilhada por tantas pessoas nas redes sociais.

Identifico-me com Rômulo em várias situações.

----> Ele é fotógrafo e fala sobre coisas lá do fundo do coração daquelas pessoas que amam fotografar. O que esse ato de observar, clicar... representa na nossa vida. Nada de generalizar. Mas o que ele disse faz sentido pra mim.


----> José sofreu como Érica. Tudo foi difícil. Bem difícil. Mas ficou o amor. Amamos até o fim. Até o último momento juntos. E é isso que consola, que acalenta o coração. Vale a pena viver de amor. Acreditar no amor. Apostar no amor.


Parece história de filme (lembram de "Um amor pra recordar"?). Mas são histórias vividas por tantas pessoas como eu, como você, que decidem viver por amor.

Vez ou outra é bom que esses casos apareçam na mídia, sejam compartilhados. Tira o foco da tristeza, violência, corrupção. E se alguém tiver esquecendo dessa história de "viver de amor", logo toma fôlego novamente. Não é que devemos esquecer essas coisas "ruins", mas de certa forma essas notícias nos abalam, nos amedontram, nos deixa sem esperança, sem vida).

Aqui está o vídeo que ele gravou.
Em 25 minutos um linda história de amor nos é apresentada.

{AnaVi}



Gente igual e diferente.

Estou sumida dos blogs (do meu e dos amigos) eu sei!
Não é por causa da minha vontade.


Pois bem. No mês de julho vivi uma experiência singular.
Participei de uma missão, com outras pessoas da comunidade que participo, na Amazônia.
Sim. Tive oportunidade, vontade e coragem. Hahaha.

Fomos com o  lema do livro 7 Bilhões: "Viver com o outro e para o outro o tempo presente".
Antes de chegar a tão planejada viagem, vivemos dias de ansiedade... pensando como seriam as coisas lá naquelas terras tão longe aqui da nossa casa.
Lá aproveitamos cada momento: Convivemos com os jovens paraenses partilhando os anseios dos nossos corações, visitamos famílias lindas que vivem desafios como nós, mas cada um na sua realidade, conhecemos pessoas e lugares maravilhosos...

Quero partilhar um pouco do que registrei mas sei sobre a impossibilidade de transformar em palavras, imagens e vídeos todas as experiências que vivi.


Nos diálogos com o povo paraense, percebemos o quanto somos iguais e diferentes. 
Iguais em nossos sonhos, projetos, atividades na busca de um mundo mais humano e mais digno para todas as pessoas.
E o que nos diferencia é a nossa cultura, o que se come lá e não se come aqui, as expressões utilizadas lá que aqui não sabemos o significado, vice versa.

E como é belo isso... ser igual e diferente!





Até breve!




Medo

Tem gente que tem medo de terminar um relacionamento.

Ana Maria tinha medo.
Parecia que ela já sabia tudo o que poderia acontecer quando ela dissesse que não queria mais. Por isso ela tinha tanto medo.

Um dia após uma das tantas crises de ciumes ela decretou o fim.
Ela tinha muito medo. Sim, ela tinha muito medo de dizer: "Eu não quero mais".
Foi fácil? Não. Não foi.
Ela tomou chá, cápsulas, injeção de coragem.
Ela viu que a coragem existe onde também existe o medo.

No primeiro momento foi um balde de uma água fria, embora os últimos meses daquele bonito casal já mostrava que não dava mais pra ser felizes juntos.
O primeiro fim de semana foi meio vazio (para Ana Maria), mas com uma certeza que o tempo do vazio passaria e depois chegariam outras pessoas, outras oportunidades.
Ana Maria respirava melhor, conseguia sentir o cheiro, o sabor, o toque da liberdade. Aquela liberdade que todo ser humano deseja: de poder se encontrar com as amigas para um cinema, para um café depois do serviço, de poder conversar com qualquer outra pessoa do sexo oposto sem ficar pensando que está sendo vigiada, fazer um curso, praticar um hobby.

Passou um mês. Ana Maria e o rapaz estavam solteiros.

Sim... é comum que pessoas namorem e separem. É bom que um não deva viver ao lado do outro infeliz, mesmo não gostando mais, como se gostava no início. Ana Maria agradece por ter nascido nessa época onde se pode namorar 4, 5 ou 6 anos e dizer que não quer mais. Na época da avó, por exemplo, tinha que permanecer casada, pra sempre. Mesmo infeliz.

O rapaz, o pobre rapaz, não entendia que havia acabado o relacionamento. Foi uma época em que viveram um para o outro, se amaram. Mas acabou. Isso ele não conseguia entender.

Ele procurava Ana Maria na  faculdade. Na serviço. Na casa dela.
Dizia que ela devia ser feliz com ele. Só com ele. Se não fosse com ele... não seria com nenhum outro.
A preocupação começou tomar conta dos dias de Ana Maria. Ela não queria mais vê-lo, mas mesmo assim ele ia onde ela estava.
Mudou um pouco sua rotina. Saia mais cedo da aula, passava por outro caminho para chegar no serviço. Pouco adiantou!

O rapaz usava outros meios para dizer o que sentia e pensava.  Por meio de mensagens de celular e e-mails dizia que se mataria, também Ana Maria . A família dela não acreditava que isso estava acontecendo pois, até então, o rapaz era um homem controlado, adulto. Porém, agora observavam seu comportamento desorientado.

Ana Maria pensou o que seria pior: continuar infeliz num relacionamento ou suportar as ameaças.

Continuou com coragem.

A coragem agora dizia que ela deveria procurar a delegacia das mulheres. Mas, antes de chegar lá precisava de um boletim de ocorrência, feito em um posto policial.

E vocês pensam que foi fácil?
Ana Maria descobriu, da pior forma, como a mulher é tratada como uma qualquer quando chega num posto policial para reclamar de seu companheiro, ou de seu ex companheiro.
Todo respeito aos policiais! Mas a maioria dos homens fardados que Ana Maria encontrou achava que era mais uma dessas histórias de namorinhos... que amanhã iriam voltar. Passaram-se dias, e nada de conseguir um B. O.
Ana Maria também entendeu o motivo pelo qual tantas mulheres desistem das denúncias. As mulheres não são escutadas. Parece que a culpa é delas mesmo.

Um sentimento horrível habitava o coração de Ana Maria naqueles dias. Uma vontade de se entregar, se entregar para morrer. Pois a liberdade, a leveza ao respirar... tudo isso andava longe.

Ana Maria começou a procurar a polícia acompanhada de um homem que conhecia toda sua história com o rapaz. Às vezes Ana Maria explicava a história, outras vezes o homem que a acompanhava.

Enfim, conseguiram o B.O. que ela apresentaria na Delegacia das Mulheres.

Ah... Delegacia das Mulheres. Que lugar triste, que histórias de amargura.

Depois de alguns meses, de muitas lágrimas, humilhações, traumas, Ana Maria parou de receber ligações e ser perseguida.

Bem Aventurada Maria da Penha!





A idade de ser feliz!

A Idade de Ser Feliz
Mário Quintana

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, 
somente uma época na vida de cada pessoa 
em que é possível sonhar e fazer planos 
e ter energia bastante para realizá-las 
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. 

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente 
e desfrutar tudo com toda intensidade 
sem medo, nem culpa de sentir prazer. 

Fase dourada em que a gente pode criar 
e recriar a vida, 
a nossa própria imagem e semelhança 
e vestir-se com todas as cores 
e experimentar todos os sabores 
e entregar-se a todos os amores 
sem preconceito nem pudor. 

Tempo de entusiasmo e coragem 
em que todo o desafio é mais um convite à luta 
que a gente enfrenta com toda disposição 
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, 
e quantas vezes for preciso. 

Essa idade tão fugaz na vida da gente 
chama-se PRESENTE 
e tem a duração do instante que passa.


Nesse lindo mês de agosto o blog e a dona dele completam mais um ano de vida.
Parabéns pra nós!







=)


Boa semana! 

Agosto.

Fim de feriados emendados, dos dias parados por causa da copa do mundo, fim das férias de julho.

Agosto, seja bem vindo.

#saudadedoblog

O amor é azulzinho...



"Corre e vá dizer
Pro meu benzinho
Um dizer assim
O amor é azulzinho"
(Djavan. Lindo e charmoso)




Vocês que passam aqui de vez em quando devem conhecer também os blogs da Chica.
Em um de seus blogs ela posta as fotos que as pessoas enviam pra ela com algumas palavras, sobre o céu. Veja: Céus e palavras.
Acho isso incrível e lá vemos muitas fotos lindas do céu.

Quando eu estou a observar o céu, lembro-me do blog dela.
Às vezes não estou com câmera, às vezes não quero fotografar, só apreciar a beleza e a imensidão desse azul.

Um dia desses eu observei essa beleza e quis fotografar também (foto acima).

Parece que pintaram o céu com uma esponjinha.

Caso você também seja um (a) admirador (a) do Djavan, assim como eu, e queira escutar uma musiquinha, clique aqui.


Abraço!

{AnaVi}


Copa do Mundo 3

Os homens são aquelas criaturas que não lembram dia do primeiro encontro, do primeiro beijo. (Tá bom. Não vou levar isso muito em conta... Vão dizer que tô querendo demais).

Mas eles também não lembram do aniversário de namoro nem de casamento. (E isso é péssimo). 
Esquecem os dias dos acontecimentos mais importantes na vida de um casal. 

Acho que isso acontece porque precisam de lembrar outras coisas. 
Precisam lembrar, por exemplo, de todos os lances das finais dos campeonatos brasileiros e mundiais.
Nessa época de copa do mundo é comum perceber isso.
Lembram do lance do jogador fulano de tal no penúltimo jogo da copa de 2010, 2006...  Lembram que um lance acontecido no jogo Brasil x Chile ou México x Holanda é parecido com um lance do campeonato tal, no ano tal.

Mas, agora, Brasil x Alemanha, do dia 08 de julho de 2014... eu não sei com o que se parece.

Apesar dos pesares e de tantos textos e imagens que temos visto desde ontem à noite, recomendo este  (Carta a uma seleção derrotada) para quem quiser ler e este pequeno vídeo.

Abraço.

{AnaVi}

Copa do mundo 2

Neste post não incluirei as mulheres que sabem muito de futebol, até mais que os homens.

Sempre tem homem que reclama de mulheres que não entendem nada de futebol.

Elas assistem os jogos da Copa do Mundo e as finais de alguns campeonatos brasileiros, quando o time delas está na final. #vascodagamaeuteamo

Sentam na sala, na varanda, no bar pra assistir ao jogo e pensam que sabem de tudo. Todas as regras de marcação, pênaltis, escanteio, impedimentos .... Mas gente... Elas não sabem nada. E os homens sem paciência se irritam com isso. 

Às vezes riem da cara delas. Às vezes ficam muito irritados e pedem para que fiquem quietas. Umas não ficam. 

Quando um jogador cai no chão, lá no meio do campo escutamos uma voz feminina: É pênalti. Gargalhadas e chingamentos é o que escutamos em seguida.

Por que o juiz fez isso? Por que deu cartão amarelo? Por que não foi o fulano que cobrou a falta?

Bom jogo pra gente hoje!



Copa do mundo


E o povo brasileiro está contagiado pelo clima da Copa do Mundo...

Tem gente que ficou rouco no primeiro jogo.

Gente que não consegue ficar sentado quando a bola vai chegando perto da área.

Uns fazem bolão. E... Além de torcer para o Brasil ganhar, torcem também pelo resultado que marcaram no bolão.

Namorados e maridos que ficam com a cara feia quando as mulheres fazem comentários sobre Huck. O cara tá jogando bem gente. E muito bem por sinal.

Tem gente que grita mais quando o adversário chuta para o gol do que quando é gol do Brasil.

Tem técnicos da seleção brasileira em todo lugar. Nos blogs, no facebook, na sala da minha casa na hora do jogo.

Tem gente que quebra a televisão.

Tem gente que morre de infarto.

Tem gente que quer que o Brasil ganhe o próximo jogo só pra não precisar de ficar no serviço o dia todo.

Gente que enviou a bandeira do Brasil pelo Watsapp durante o sofrimento da prorrogação do jogo Brasil e Chile, juntamente com uma mensagem de sorte para o time. #achoquedeucerto

Aqui vemos os jogos em família e com amigos. No jogo Brasil e Chile vimos todo mundo separado. Que aperto passou a seleção! Conclusão: Para o Brasil ir bem no jogo precisamos assistir todo mundo junto. #queassimseja

E por aí, como anda a Copa do Mundo?

Abraço.

{AnaVi}

Ana Maria.


Ana Maria esperava que ele abrisse a porta do carro no primeiro encontro.
Ele não abriu.
Não deu certo o relacionamento.
Claro que não foi só por causa disso.
Mas ao lembrar do rapaz, Ana Maria sempre diz: "Ele nem abriu a porta do carro!"


Postcrossing

Há um tempo atrás conheci o site PostCrossing.
A proposta do site é a troca de cartão postal com pessoas do mundo inteiro.
Fiquei estudando a proposta e minhas condições para participar...

Estou participando e adorando.

Eu amo esse tipo de interação.
E os cartões postais nos permite conhecer mais sobre o local de onde foram enviados, a pessoa que o enviou.









No site você pode colocar suas preferências de cartões postais, os temas que mais gosta. Muitos enviam os cartões de acordo com o tema que você prefere.

É muito gostoso chegar em casa e encontrar um cartão que veio lá do outro lado do mundo.

E você?

Gosta de trocar cartas e postais também?

Abraço.

{AnaVi}



#Aqui tem flor




Cartinhas e postais recebidos na participação do projeto #Aquitemflor

Já falei do projeto aqui.



Bjos!

Resultado do sorteio + Um projeto muito gostoso.

Gente, hoje é o dia de divulgar os ganhadores do livro 7 bilhões.


A primeira pessoa que comentou foi a Chica.
A oitava pessoa que comentou foi a Tina, mas ela já tem o livro e disse que não participaria do sorteio. "Excluindo" o comentário da Tina, quem fica com o oitavo comentário é a Patrícia.
A décima sexta pessoa que comentou foi a Cinthya.

Farei contato solicitando o endereço, caso a pessoa não me responda até semana que vem, sorteio o livro novamente.

7 bilhões é aquele livro infantil que todo adulto deve ler sabe...




--------

O projeto gostoso que falei no título deste post é o


Já falei por aqui que esses blogs nos apresentam pessoas incríveis e a  Mirys é uma delas. É uma dessas pessoas que a gente não se arrepende de ter conhecido. E olha que nem a conheço pessoalmente.

Sua fé na vida, seu jeito de encarar as dores, de esperar por algo melhor sempre. Isso me encanta. E como ela mesmo diz: "o amor é contagioso e sempre inspira outras pessoas". O amor que ela escreve e vive me contagia.

O projeto acima objetiva que no dia 31 de maio (dia escolhido por ela para comemorar o "dia da família") nós gastemos tempo com quem amamos. Esse projeto em anos passados foi motivado com o envio de cartas, cartões... Esse ano o projeto será por meio de fotografia. 


 O seu emprego é importante porque ele te mantém? Ótimo. Concordo. 
Mas, quando você sai de lá, você deixa o trabalho pra trás? 
Você vai na sua mãe, tomar um café com ela? 
Ou chega em casa e se joga no chão pra brincar com seu filho? 
Ou liga para uma amiga e sai pra tomar um chopp e colocar a conversa em dia? 

Fica a dica pra você que quiser participar também.

Bjo e bom fim de semana.

{AnaVi}



Beba poesia!


Inspiração!
Poesia na garrafa.









Thaynara Rocha Lima é escritora, estudante de Direito e administradora da página Toda Poesia no Facebook. 

Abraço.

{AnaVi}


<< >>