A casa.

Já falei várias vezes sobre minha ida à Serra do Funil 


Durante as caminhadas fotográficas encontramos essa casa.

Na verdade andamos muito para encontrar uma casa.

Estávamos cansados, querendo água, querendo sombra.

Foi aí que paramos.

Um senhor nos atendeu com muito carinho, ofereceu água, jaca, mexerica...





Um dos membros de nosso grupo tinha cortado a mão com um canivete e esse senhor que o ajudou.
Deu um pouco de mertiolate e alguns "matos" que são cicatrizantes.


Fiquei parada, encantada, emocionada.


Nessa casa estava cantando músicas, moda de viola... tudo que meu pai sempre escutava aqui em casa.
Tudo ali me lembrava o José. A simplicidade do morador... as músicas que ele escutava... o jeito de conversar... o fogão a lenha.


Conversei com ele. Perguntei sobre a vida ali naquele lugar...
E com um sorriso no rosto ele dizia que era ótimo morar ali, trabalhar durante o dia, chegar de noite comer a comida que a mulher fez. Plantar o que vai comer...


Quanta diferença da minha vida, da nossa vida.
Não tem tanta preocupação com o tempo...
Não tem stress com o trânsito engarrafado, com o horário que vai chegar no serviço, no colégio, no dentista...
O computador que pifou, a internet que não funciona, o e-mail que não chegou, a impressora que parou de funcionar na hora que mais precisa...
Os compromissos que não podemos faltar...
Enfim.


Foi precioso aquele momento.
Algumas vezes vale a pena pensar em como outras pessoas são felizes com poucas coisas, como são felizes sendo sempre simples.
Precisamos parar de vez em quando, pensar nisso.
Talvez possamos nos desacelerar encontrar felicidade e ficar satisfeitos com o que temos e o que somos.

Bjo pra vocês.



9 comentários:

Jussara Neves Rezende disse...

Verdade! Claro que ganhamos com a tecnologia, com a vida moderna, mas esses ganhos nos fazem esquecer o quanto perdemos!
Belo texto o seu e muito bom o resgaste de uma simplicidade perdida e necessária.
Abraço!

✿ chica disse...

Que maravilha,Ana Virgínia.Até li para o meu marido pois achei um encanto e em de encontro com o que penso. Adorei te ler! beijos,chica

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Ana!

Seu texto num dia como o de hoje é bem valiosos. Precisamos nos libertar um pouco dessa ilusão que para ser feliz é preciso ter o mundo.

Lindas as palavras e mais linda ainda a mensagem. Amei!

Beijos!

Selma

Dani ♡ disse...

Verdade, meus vizinhos são assim tão simples, como você mencionou... Sem stress, planta o que come e assim vão vivendo...
Beijos, existe lugares assim de se ser simples e nem é tão dificil.

Vanessa Medeiros disse...

Que Senhor carinhoso *-* Sorte de vocês terem encontrado, sempre quis morar em uma casa, assim no 'meio do nad' é bom para relaxar e respirar um pouco.Impressoras, sempre param de funcionar sempre que precisamos kk Beijos everyday--things.blogspot.com

Elza Carrara disse...

Ana, muito bonito o seu post e a sua reflexão deveria ser uma constante na nossa vida! Sabe que meus pais também vem de uma origem simples, a infância deles foi na roça. Quando a minha mãe conta essas histórias da infância dela, fica uma maquininha na minha cabeça pensando e pensando, em como a gente reclama hoje em dia, mas tem muito mais do que nossos pais tiveram. E eu sempre chego a conclusão que uma vida simples, sem pressão e sem estresse, é mesmo o caminho de uma vida mais feliz :)
um ótimo Domingo pra vc

Lia Gloria disse...

Só consigo pensar na contradição da vida. O conhecimento que 'liberta', é o mesmo que aprisiona.
As 'benesses' da vida moderna, e a corrida pelo ouro, diária, que fazemos é desconhecida para esse povo. Portanto, aí, a falta de conhecimento e inserção, os protege.
Nós somos aprisionados. Sabemos muito de ciência, tecnologia, religião, filosofia, artes, e vivemos angustiados.
Eu amo isso aí! Mas já não me bastaria, infelizmente.

Não devemos perder a oportunidade de entrar em contato com o simples.Contemplar, reverenciar, emocionar... porque se perdermos isso, já teremos perdido tudo.

bjs

Cristiano disse...

O problema q as vezes o simples e tão complexo de conquistar. :P

Tem que desfazer de tanta coisa.

Regina Serapião disse...

Bom dia, Ana! Que maravilha te encontrar, saber que seus sentimentos são tão bonitos... Ao falar sobre a simplicidade, penso que ela está em nós, em como sentimos a VIDA, na forma serena que nos relacionamos uns com os outros..ensina e nos ajuda compreender melhor nosso SER... A simplicidade é acordar todos os dias e sentir que vale a pena... A natureza é nossa grande companheira, ela nos ensina, nos presenteia com seus encantos... Amei sua visita, volte sempre que sentir vontade, abraço com as energias da SAGRADA NATUREZA.

<< >>