Carta para Julieta.




Olá Julieta.

Que bom poder escrever para você nesta data, dia dos namorados.

Sou uma moça solteira que hoje penso no significado desta data para tanta gente.
As redes sociais nos faz perceber o quanto esta data mexe com as pessoas enamoradas e também com as solteiras.

Alguns se expõe de forma total querendo provar que aquele amor que vive é o perfeito.
Outros também se expõe, ao contrário dos primeiros, desacreditados do amor.

Observando toda essa correria para a comemoração do dia dos namorados, lembrei-me de uma história que uma moça me contou.

Essa moça dizia sobre algumas comemorações desta data em que ela estava acompanhada, mas não estava feliz. A coitada não tinha coragem de romper com o relacionamento e vivia esta data de acordo com com as propagandas, compra de presentes... tudo que a mídia ditava. Mas no fundo ela queria outra coisa, ou talvez outra pessoa.

Depois de tantos "dia dos namorados" com acompanhante e tristes, ela viveu essa data diferente.

Estava solteira e feliz da vida.

Não ligava mais para as pressões que a própria sociedade faz. E aprendeu a amar mais a si mesma.

Eu concordo com essa moça. Não são todos os namorados que estão felizes e nem todos os solteiros que estão infelizes, como parece que deve ser.

E você Julieta, o que acha?

Conhece mais alguém com história parecida com a dessa moça?

Abraço.



-------------------------------

Clique aqui para participar do sorteio de uma caixa de bombons "Amo Você"

15 comentários:

✿ chica disse...

Linda tua carta e seria bom ver a resposta,né? beijos,chica

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Querida Ana,
Gostei da sua carta
Bem original
O que adianta estar com uma pessoa e não estar feliz
Um beijo carinhoso de
Verena e Bichinhos

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Ana
Antes só do que mal acompanhada...
Bjm de paz e bem

Christian V. Louis disse...

Ana, você tocou em um ponto importantíssimo. Há tanta pressão pela mídia (evidente, os lucros) no Dia dos Namorados que pessoas enlouquecem para ficar junto de alguém e poder detonar o cartão de crédito. E quem está solteiro tem duas opções: ou enxergar isto com a clareza que você enxergou ou ficar de #mimimi em redes sociais.
Infelizmente, o que presenciei demais ontem.
E hoje, já é outro dia.
Obrigado por participar e parabéns pela lucidez!

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde
Ana Virgínia
Como vai?
Parabéns pela participação na BC.
...sim...penso que a sociedade e, também, a mídia influencia no comportamento das pessoas a cada dia que passa.Há um despertar de uma necessidade muito grande de reconhecimento alheio que, ao ultrapassar as barreiras da normalidade, acabam por se submeterem às diversas situações de risco , inclusive no tocante ao amor... não podemos nos deixar enganar , e considerar o Dia dos Namorados como uma data que é para embarcamos no consumismo e esquecermos que, mais do que o presente, é necessário o sentimento que nutrimos pelo outro e que deve retornar para nós em igual medida... solteiros podem realmente ser felizes com sua condição. Da mesma forma como compromissados podem ser felizes ou tristes, ou seja,é uma decisão autônoma, temos que procurar sempre o nosso bem-estar e a nossa felicidade...independente de pressões externas!
Obrigado pelo carinho
Boa quinta feira
Beijos

Ana Paula disse...

Gostei da tua carta Ana Virgínia! Temos que estar bem primeiro com a gente.
Beijo

Clara Lúcia disse...

Tbm gostei da carta... naquele tempo de Julieta, tudo era muito intenso e o único objetivo das mulheres eram se casar o mais breve possível assim que entrassem na adolescência. E adolescente é assim mesmo, intenso!
Ela ia gostar de ter recebido a carta.

Beijos

Calu disse...

Ótima referência,Ana, trazer-nos a história desta moça que acordou pra sua própria essência e resolveu deixar de viver slogans de propaganda e datas midiáticas.De nada adianta montarmos um cenário pro distinto público se por dentro estamos sem adornos.
Grande participação!Amei!
Bjkas,
Calu

Cris Campos disse...

Ana,

Gostei muito da singeleza de tua carta. Teu coração é bonito e doce. Gr. Bj. minha querida!

Priscila Ferreira disse...

Passando para te desejar um ótimo final de semana,
beijos!

Alê Lemos disse...

Levou um tempo para eu descobrir como é ser feliz consigo mesma. Sou da opinião que devemos tentar sermos felizes com nós mesmas primeiro antes de procurar alguém. Esse ano eu estava tão bem que nem me lembrei do dia dos namoraods, outras pessoas me lembraram e não fez a menor diferença estar solteira ou não. Nem comprei presente pra mim mesma kkkkk beijos!

Zilani Célia disse...

OI ANA!
TE VI EM OUTRO BLOG E VIM ATÉ AQUI PARA TE CONHECER.
TAMBÉM ESTÁS NA BLOGAGEM, GOSTEI DE TUA CARTA PARA JULIETA.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Anne Lieri disse...

Oi Ana Virginia!Muito linda e verdadeira sua participação!Nem sempre o amor é perfeito e gostei que essa moça correu atrás de seus sonhos e mudou sua história!bjs,

Mari B. disse...

Gostei de sua lúcida carta. O senso comum parece nos pressionar para cabermos nas "formas" do que "é normal para cada idade", então passa-se a impressão de que as pessoas que não estão envolvidas em um relacionamento amoroso não são completamente felizes, o que não corresponde à realidade. Cada um é responsável pela sua felicidade, por mais que um amor nos complete, não podemos deixar a responsabilidade de nossa vida dar certo nas mãos de outra pessoa.
Bom finde!

Luciene Tenório Nunes disse...

É... nem todos os casais que parecem viver num comercial de margarina estão realmente felizes.
Bjs.

<< >>